p. leminski

diversos

 

 

entrevista: Paulo Leminski



Data: 11/10/1982
Fonte: Acervo Aramis Millarch
Duração: 241:18 minutos
millarch.org/audio/paulo-leminski


 

PAPAJOYCEATWORK
PAPAJOYCETRAMPANDO




(Noite. Joyce começa a escrever)
(Night. Joyce begins to write)
Madmanam eye! Light gone out!
Olho malucadãome! Luz se foi!
(Cai no papel)
(Falls over the sheet)
Mustmakesomething! Reverythming!
Temquefazeralgo! Ritudsonhindo!
(Morde os lábios e gargalha)
(Bites his lips and laughs out loud)
A poorirish is a writer mehrlichtsearching,
Um pobrirlandês é um escritor soluzmentbuscando,
Yesternighteternidades!
Ontemanoiteternities!
(Troveja. Relâmpagos iluminam o quarto. Joyce prossegue)
(It thunders. Lightnings brighten up the room. Joyce goes on)
Thomasmorrows? Horriver!
Amanhantonios? Horriopilante!
Nice and sweet – the speech of England, damnyou! Dont?
Bela e doce – a fala da Inglaterra, dane-se! Não?
Must destroy it, just like a destroyer would do it yourself!
Tenho que destruí-la, bem como um destróier faria você mesmo!
Como um verme. Yes, I no.
Like a vermin. Sim, eu say.
Done to Ireland! What have they done? It will do.
Feito pra Irlanda! O que eles fizeram? Servirá.
Beforeblacksblanco, we are even, this very evening! Think is so.
Antespretéwhite, estamos quites, nesta noite esquisita! Pensar é tão.
My vengeance will be as big as say a country as big as say Brazil.
Minha vingança será grande qual digamos um país grande qual digamos o Brasil.
Someday my prince will come. Our prince: Seabastião!
Dum mingo meu príncipe virá. Nosso príncipe: Semarstião!
Arrise, Lewisrockandcarrol!
Erga-se, Monteirockandlobato!
Waterrestrela, am I a dayer?
Agüearthstar, sereia eu um dia rio?
Just a wakewriter.
Só um escrivelório.

 

p.leminski – 1977
ivan j.s. – 2004

 




Uma pessoa cândida...
Leminski entrevistado por Jairo Máximo

 




 

                        

Desencontrários

(Adpt: Paulo Leminski) Intr: C G F C G (2x) C Dm Mandei a palavra rimar, Ela não me obedeceu, F C G Falou em mar, em céu, em rosa, em grego, em silêncio, em prosa, F G C G Parecia fora de si, sílaba silênciosa. C Dm Mandei a frase sonhar, e ela se foi num labirinto. F G C G Fazer poesia eu sinto, apenas isso. F G C G C G F C G Dar ordens a um exército, para conquistar um império extinto.



LEMINSKI MULTIMÍDIA
(cd rom),

adquira-o diretamente nos sites:

PAU BRASIL:   1   2   ou   Tecnokena

 


 

La vie en close
traduzido por Ivan Justen Santana

 


 

Um poeta...
leia a homenagem de Neuza Pinheiro a Leminski

 


Leminskino

(um filme para ser lido)
por Sylvio Back

 


 

Leminski nos quadrinhos 2:

O anãozinho do bordel voltou!

Com roteiro de Leminski, publicada pela Grafipar em 1979, agora integra
VOLÚPIA, coletânea do cartunista Júlio Shimamoto, Opera Graphica, SP, 148 p., 2000.
[Encomendas: Comix Book Shop, tel.: (0xx11) 280-9116/3061-3893, R$ 18]

 


 

Análise do livro DISTRAÍDOS VENCEREMOS
Faça o "download" do arquivo: Distraidos_venceremos.exe (48,1KB)


 


Confira no TV UOL:


PLAY Gabi entrevista Paulo Leminski
Trecho da entrevista de Paulo Leminski ao programa "História do Futuro" da Rede Bandeirantes. 

© 1986 Rede Bandeirantes de Televisão, duração: 00' 39''

disponível nos formatos: RealMedia WindowsMedia velocidades:

 


 



(mova o cursor sobre a figura)


Elson Fróes, versão em Javascript - 2000

 


 

Leminski nos quadrinhos:



trecho da tira Geraldão sem mãe do cartunista Glauco
extraído de Geraldão nº10, Circo Editorial, S. Paulo, 1988, p.11

 


 

PROCURA-SE!
em qualquer estado de conservação, com recompensa


·Revista Ímã do Rio de Janeiro e Revista Ímã do Espírito Santo, com a participação de Leminski.
·Jornal Pícaro, Mogi das Cruzes, SP, com textos ou poemas de Leminski.
·Tiras do cartunista Glauco com o personagem Tio Lema, inspirado no Leminski, no jornal Folha de S. Paulo.
·Quarenta clics em Curitiba. Poesia e fotografia, com o fotógrafo Jack Pires. Curitiba, Etecetera, 1976. (2ª edição Secretaria de Estado Cultura, Curitiba, 1990.)
· Polonaises. Curitiba, Ed. do Autor, 1980.
· Não fosse isso e era menos/ não fosse tanto e era quase (80 poemas). Curitiba, Zap, 1980.
· Tripas. Curitiba, Ed. do Autor, 1980.
· Hai Tropikais com Alice Ruiz. Ouro Preto, Fundo Cultural de Ouro Preto, 1985.
· Um milhão de coisas. São Paulo, Brasiliense, 1985.
· Szórakozott Gyozelmunk (Nossa Senhora Distraída) - Distraídos venceremos, tradução de Zoltán Egressy . Coletânea organizada por Pál Ferenc. Hungria, ed. Kráter, 1994.
· Descartes com lentes (conto). Col. Buquinista, Fundação Cultural de Curitiba, Curitiba, 1995.
· Fogo e água na terra dos deuses. Poesia egípcia antiga. São Paulo, Expresão, 1987.

e-mails para Elson Fróes

 


 

receba poemas de Leminski e outros poetas por e-mail:
(receba um poema cada vez que você enviar um e-mail abaixo)
Seu nome:  
Seu e-mail:
Quero receber mensagem de:
serviço originalmente fornecido pelo Insite

 


 

envie postais com poemas de Leminski pelo site da Pau Brasil

 


A Invenção da Primavera
leia a carta de Wilson Bueno a Leminski


Miguel Ângelo Leminski
(1969 - 1979)

poemas


 

 

Distraduções
Rogério Budasz
Poemas de Paulo Leminski para quarteto vocal
composições inéditas em arquivos MIDI

      "Musiquei os poemas há alguns anos para quatro vozes ou coro SATB, e eles continuam inéditos. Com exceção de Para que Leda me leia as peças procuram fazer uma espécie de pintura musical do texto, sem ser demasiadamente literal: batidas do coração em Parada Cardíaca e dissonâncias salientando o efeito do aço e da espada em Aço em Flor, por exemplo. Para que Leda me leia é uma brincadeira inspirada em tecnicas musicais dos seculos XII e XIII."

clique para ouvir Aço em Flor

clique para ouvir Para que Leda me leia

clique para ouvir Parada Cardíaca

 

Leminski
via Blake

 

Até o mais ínfimo átomo
conta toda a eternidade
de cor por um átimo

 

Elson Fróes

 

Û Ý pop
box
´ ¥ Ü * e-mail: Elson Fróes